Pastoral

Um Serviço de Dedicação aos Enfermos e Necessitados

Todas as Dimensões e áreas de atuação da Província trabalham de modo interligado, em busca do mesmo propósito: o cuidado com os enfermos. A Pastoral – que contempla os trabalhos de Pastoral da Saúde, Capelanias, Paróquias e Missões Camilianas – é a que retrata na prática e mantém vivos os ensinamentos de São Camilo de Lellis, fundador da nossa Congregação Religiosa, de amparo e presença solidária junto com os doentes em suas necessidades físicas e espirituais e empenhados na promoção da vida.

A Dimensão Pastoral conta com um grupo formado por mais de 30 religiosos camilianos, entre padres e irmãos, além de um grupo de leigos formado por voluntários que se dedicam, juntamente com os capelães, às visitas aos enfermos e à animação das celebrações eucarísticas, além do trabalho de Capelania da Província, presente em 28 instituições de Saúde, e às Missões no Brasil e também na Bolívia.

Estar ao lado dos doentes e seus familiares e estabelecer uma relação de ajuda e apoio espiritual é a principal atividade do capelão dentro de uma unidade hospitalar. Ele cultiva também um relacionamento saudável com os profissionais da Saúde, auxiliando-os quando necessário. Juntos, somam energias e ternura humana, oferecendo conforto e segurança àqueles que necessitam – além dos cuidados médicos – de uma mão estendida, um ombro e um apoio espiritual, pois muitas vezes é neste momento que a fé em nosso Pai abala, surgindo dúvidas, questionamentos, culpas e os porquês de tudo o que está acontecendo justamente com ele.

Nesse contexto, o enfermo e muitas vezes os familiares precisam de um religioso preparado para auxiliá-los no processo de um irmão que faz um caminho junto com eles, ouvindo-os, apontando luzes quando necessário e respeitando o momento das pessoas, favorecendo para que cheguem às suas próprias convicções de uma forma mais segura e tranquila. Também é atividade do padre capelão celebrar a eucaristia e ministrar os sacramentos, quando solicitados.

Para a realizaçãodesse trabalho de Pastoral da Saúde é importante que a pessoa receba treinamento e preparo específicos.A Província Camiliana Brasileira conta com o suporte do Instituto Camiliano de Pastoral da Saúde (Icaps), um departamento que busca cada vez mais preparar padres, religiosos e leigos interessados em atuar em prol dos necessitados, nas três dimensões definidas pelas Diretrizes de Ação da Pastoral da Saúde da Conferência Nacional dos Bispos no Brasil (CNBB): Solidária, Comunitária e Político-institucional.

A Solidária diz respeito à vivência e à presença samaritana juntamente com os doentes nas instituições de Saúde, na família e na comunidade. Ela visa atender a pessoa integralmente, nas dimensões física, psíquica, social e espiritual. Esse é um grande desafio para nós, camilianos: o de melhorar cada vez mais a formação desses agentes.

Para estar ao lado de quem está enfermo é preciso estabelecer com ele uma relação que exige uma capacitação profissional que vai além da Filosofia e Teologia, pois o agente precisa estar apto a discutir a espiritualidade, a questão de Deus, a finitude da vida e a fragilidade humana, pois é nessa hora que a pessoa mais se sente vulnerável e mais necessita ter ao seu lado um padre ou mesmo um leigo, e adentra o campo da Psicologia, estando preparado para estabelecer uma verdadeira relação de ajuda.

Já a Comunitária busca a promoção e a educação para a Saúde e está relacionada à saúde pública e ao saneamento básico, atuando na prevenção de doenças. Nesta área podemos citar o grandioso trabalho realizado pelas missões camilianas na Bolívia, Amapá e Ceará, que atuam no cuidado com a comunidade.

Nesta área também precisamos nos aprimorar na formação destes agentes, para que tenham formação mínima de cuidados em Saúde e saibam utilizar não apenas os remédios alopatas, mas também os recursos naturais que temos na chamada Medicina alternativa, com remédios caseiros, chás e outros que são utilizados pelo País afora, dada a riqueza da nossa natureza. Devemos enxergar esta outra alternativa de preparar pessoas para poder disseminar esse conhecimento, sem, claro, fazer nenhum desprezo à Medicina alopata.

Por fim, a dimensão Político-institucional atua diretamente com os órgãos e instituições – públicas ou privadas – que prestam serviço e formam profissionais na área da Saúde, zelando para que haja reflexão fundamentada na bioética, formação ética e uma política de Saúde sadia. Esta é a área que nós devemos atuar de forma competente, para que os agentes da Pastoral tenham influências nas decisões políticas de Saúde do nosso País.

A Província entende que é necessária uma voz profética da Igreja para fazer valer os direitos da população, para que os recursos destinados à Saúde sejam bem utilizados e possam chegar até os devidos fins.

O Icaps também oferece subsídios impressos e publicações específicas para tais fins, fornecendo aos interessados material de estudos e aprofundamentos que lhes deem segurança no ministério que exercem.

O ministério de Capelanias sempre acompanhou a história da Província nesses mais de 90 anos em terras brasileiras e empregou uma identidade específica e de testemunho do carisma camiliano. Os capelães no presente devem continuar a ser esse sinal do amor misericordioso de Deus, como expressão viva de nosso carisma e do ideal de nosso fundador.

Missões
Os trabalhos missionários realizados em Macapá (AP), em Fortaleza (CE) e em Santa Cruz de la Sierra (Bolívia) retratam na prática e mantêm vivos os ensinamentos de São Camilo de Lellis, fundador da nossa Congregação Religiosa de amparo aos doentes.

Amapá
A missão em Macapá (AP), realizada há mais de 40 anos, na Foz do Rio Amazonas, está sob a coordenação desde o seu início do padre e médico José Raul Matte. Esta missão começou com o objetivo de combater os casos de hanseníase na região, mas foram percebidas outras necessidades e dificuldades da população das regiões ribeirinhas ao longo do tempo. No início, amissão visava preparar agentes de Saúde para atuar nas comunidades interioranas, tornando-se uma ponte entre o centro hospitalar e as populações afastadas.

Atualmente, o Pe. José Raul Matte mantém um ambulatório em um barco, chamado São João Batista II, que desce o Rio Amazonas, junto com sua equipe, visitando as comunidades ribeirinhas que não têm condições de se deslocar até a capital para ir ao hospital. São realizadas consultas médicas para crianças e adultos, exames dermatológicos em busca de hanseníase, exames preventivos de câncer de colo do útero e aplicação de flúor nos dentes de crianças de 6 a 14 anos, além de palestras preventivas sobre saúde bucal, hábitos de higiene e como manipular plantas fitoterápicas para transformá-las em remédios caseiros. O grupo também leva medicamentos e, nos casos em que a internação seja necessária, os enfermos são levados para o Hospital São Camilo e São Luís, de Macapá (AP).

Após a finalização das atividades como médico, o Pe. Raul inicia suas atividades como religioso, oferecendo assistência espiritual aos doentes, que neste momento assumem o papel de fiéis. A comunidade aproveita a oportunidade para se confessar, comungar e participar da celebração da missa presidida por um padre – fato que acontece raramente devido à dificuldade de acesso de religiosos a essas regiões.

Ao fim de cada viagem, Pe. Raul prepara um relatório, que revela um retrato do modo de vida dessas comunidades da Foz do Rio Amazonas, mostrando seus hábitos, carências e limitações. Um importante documento que retrata os rincões de um Brasil desconhecido para a maioria dos brasileiros.

Ceará
Neste Estado temos a missão comandada pelo Pe. Adolfo Serripierro, desde 1989, que é médico ginecologista e conta com o apoio do Pe. Camilo João Munaro e do Irmão Vicente de Paula Nogueira, que também é enfermeiro. Juntos, fazem um trabalho nas comunidades de Fortaleza, Juazeiro do Norte e Quixadá, todas no Ceará. As atividades envolvem o atendimento no ambulatório da Comunidade Santa Maria Madalena, realizado pelo Irmão Vicente, que atende todos os dias aqueles que o procuram para curativos, aplicação de injeções, aferição de pressão arterial e orientações de saúde e bem-estar.

Já o Pe. Adolfo Serripierro desenv
olve suas atividades profissionais e de padre nas comunidades das seguintes cidades: Fortaleza, Quixadá e Juazeiro do Norte, atendendo mulheres adolescentes e em situação de risco e exclusão social, por meio da Associação Maria Mãe da Vida, fundada por ele, onde são atendidas, em média, 2 mil mulheres ao mês, fazendo o acompanhamento do pré-natal até o nascimento do bebê e os primeiros anos de vida da criança.

O padre ainda orienta as Irmãs Missionárias Camilianas Maria Mãe da Vida, prestando assistência religiosa, acompanhamento e formação onde as comunidades se encontram. O Pe. Camilo João Munaro acompanha e ajudanas atividades da Associação Maria Mãe da Vida. Esta obra conta com o suporte e financiamento do Hospital São Camilo – Cura d’Ars.

Além do atendimento médico, a equipe missionária no Ceará se preocupa com o futuro e os sonhos das meninas atendidas, ministrando a elas cursos profissionalizantes e
de formação humana. Muitas das atendidas pela missão no passado são hoje, inclusive, voluntárias doprojeto.

Bolívia
A missão boliviana é em Santa Cruz de la Sierra, onde existe a Parróquia Espiritu Santo. O Pe. Geraldo Bogoni é quem está à frente desde o início das atividades e, em 2016, a Missão passou a contar com o apoio do Pe. José Wilson Correia da Silva e do Irmão Marcelo Miranda. Os três atuam na evangelização e no apoio espiritual da comunidade local, além do trabalho de Pastoral da Saúde e formação de novos agentes.

O trabalho de evangelização é realizado primeiramente pelas missas diárias, às 7h30 e às 19h30, que chegam a reunir duas mil pessoas, e também pela catequese, palestras de batismo e formação para a crisma.

Na Paróquia também é realizado um trabalho de acompanhamento aos enfermos, especialmente no Hospital Japonês, que fica dentro do território da Parroquia Espíritu Santo. Para realização deste trabalho há um grupo permanente de visita aos enfermos, coordenado pelo Pe. Geraldo Bogoni, e a partir desta atividade são percebidas as necessidades dos enfermos e de suas famílias. Muitos doentes também procuram a Paróquia em busca de auxílio para comprar medicamentos ou para consultas médicas, pois na Bolívia não há Sistema Único de Saúde.

Desde setembro de 2016 são realizados encontros mensais de formação de agentes de Pastoral da Saúde. O Pe. Jose Wilson dedica-se à formação desses agentes e à visitação de 16 hospitais da cidade de Santa Cruz de La Sierra, acompanhado do Irmão Marcelo Miranda. Cada hospital tem um grupo próprio de visitas aos enfermos, com missa realizada semanalmente.

Todos os interessados na área da Saúde, bem como médicos, enfermeiros e técnicos em Saúde em geral podem participar do curso que reúne, em média, de 35 a 40 pessoas.
O Irmão Marcelo também desenvolve o trabalho de animador vocacional, acompanhando alguns jovens da região que desejam ingressar no seminário. Suas atividades envolvem ainda a preparação das famílias para o batismo, acompanhamento da crisma e demais pastorais.
comunidadesparoquias